Como seu filho reage na escola?

Postado em 06/09/2017

Como seu filho reage na escola?

As atitudes dele entre os colegas e os professores revelam alguns traços de sua personalidade

Seguro:

É aquele que faz pouca ou nenhuma manha ao ser deixado no colégio. Depois da aula recebe os pais com entusiasmo. Representa cerca de 60% da molecada.

 Ansioso :

Sabe aquela criança que chora muito e protesta só de avistar o portão da escola? É esse o tipo. Passa boa parte da aula vigilante para ver se os pais já vieram buscá-la. Entre os pequenos, 19% se enquadram nessa categoria.

 Apático:

Ele se mostra desinteressado. Depois das aulas evita os pais no reencontro, como se estivesse se vingando por ter sido deixado na escola. São assim cerca de 21% dos meninos e das meninas.

 Dicas para um início de vida escolar tranquilo

 • Visite a escola antes do começo das aula: assim você se sente seguro quanto às instalações e seu filho logo se ambienta

. • Nada de chororô: em vez disso, diga frases como: “Agora você vai fazer um monte de coisas legais, depois a gente vem buscá-lo”.

• Fique atento nos sinais: se a criança sempre alega dores bem na hora de ir à escola, se chora ou demonstra ansiedade antes de toda aula, investigue os motivos em parceria com o colégio.

Outras Notícias

 

Cabeça de criança: como aperfeiçoar essa máquina
Postado em 17/01/2018

Independentemente da carga genética, o cérebro humano tem de ser constantemente desafiado para que mantenha e até melhore as suas funções cognitivas (como memória, percepção, raciocínio lógico-matemático, linguagem, aten...
leia mais »

A importância de aprender inglês na infância
Postado em 10/01/2018

Atualmente, o aprendizado de uma segunda língua é fundamental, falar um outro idioma no mundo globalizado ajuda a ampliar seus conhecimentos e traz muitos benefícios. As escolas já incluíram línguas estrangeiras no currículo. O fato é que as...
leia mais »

As leis sobre diversidade
Postado em 03/01/2018

Nem sempre quem tem deficiência está matriculado na escola regular. Para reverter esse quadro, é fundamental que pais e educadores conheçam a legislação.

"Desculpe, não estamos preparados." Pais de crianças com defici&ecir...
leia mais »